O testemunho de Ana Benavente 4


Partilhar

124,123,122, cada manhã conto os dias que faltam. Cada dia vale um ano. Cada semana é uma eternidade. Tenho 72 anos.

NÃO, o seu contrato não será renovado. Entregue as chaves no dia ……. Não são precisas razões. A carta chegou, registada, através de uma sociedade de advogados Passaram 4 anos. Vim para esta casa com um senhorio que tal me propôs. Vendeu o prédio. A uma Sociedade. Soube que o anterior prédio em que vivia, perto daqui, também foi vendido. E a verdade é que ainda nem desfiz alguns caixotes que de lá trouxe.

Descobrimos então o HORROR da actual LEI DAS RENDAS. Do governo da troïka. Nenhum direito, absolutamente nenhum. A falta de informação é geral. Muita gente pensa estar “protegida” por ter mais de 65 anos. Engano. Já não existe tal norma. E os mais novos? E todos?

Resta procurar no mercado inflacionado, de preços galopantes, fora de qualquer lógica de troca de serviços (quem paga e quem recebe). Em concorrência com todos os que chegam de países mais ricos e arrendam mais caro. Para nós, não há respostas. Contratos de 3 anos, em que tudo pode recomeçar, tal e qual como agora.

Pergunto ao meu país, ao governo, ao município: ninguém se apercebe do que se passa? Do medo que se instalou? Dos direitos só dum lado?  É urgente mudar a LEI DAS RENDAS. Estou nessa luta.

Ana Benavente, Lisboa,  ano 44 da democracia

Partilhar

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

4 thoughts on “O testemunho de Ana Benavente

  • ana paula

    ninguém está protegido depois da Lei Cristasm na semana passade um senhor que vivia ha mais de 40 anos numa casa foi despejado

  • rui mota

    Uma vergonha, esta especulação imobiliária desenfreada, com o argumento do mercado livre (para quem?) que protege os proprietários, a coberto de uma lei de rendas injusta, aprovada em tempo de recessão e de necessidades vitais da população. E o que faz a autarquia neste campo, já que, das pracetas e das ciclovias, não se esqueceu? Uma cidade para turistas, que despreza os seus residentes, a troco da “galinha dos ovos de ouro” de um lucro temporário. Uns tristes, os gestores da nossa vida pública.

  • helder dias

    as leis ,como deve saber são feitas baseadas em grupos de interesse,dado que o interesse geral é uma figura de estilo e as mafias que dominam não deixam nada de fora ,nada que dê dinheiro ,bem entendido….procure entre os deputados quem teve interesse nisso e denuncie,mas denuncie mesmo